Efeito Eleições: Quais as Ações que Mais Perderam Valor na B3?

Em artigo produzido para o Investing.com, o professor Carlos Heitor comenta sobre as ações que mais perderam valor na B3.
Artigo: Profº Carlos Heitor

Olá, pessoal! Após breve período de férias, esta coluna volta com pique total, sempre lembrando que ela sai sexta-feira sim, sexta-feira não. Como entrei em férias antes do segundo turno das eleições, resolvi traçar um panorama do que aconteceu com as ações da bolsa desde então. Analisei as 201 ações (e units) mais líquidas da bolsa brasileira, constituintes do índice Brasil Amplo (IBrA). Cabe lembrar que toda unit tem seu código terminado em 11 e representa um pacote de ações normalmente envolvendo ações ordinárias (ON) e preferenciais (PN). Aliás, ações ordinárias possuem códigos terminados pelo algarismo 3 enquanto ações preferenciais podem terminar em 4, 5 ou 6. Por um lado, ações ordinárias dão direito a voto em assembleias de acionistas e, portanto, originam o controle de uma companhia aberta. Por outro lado, ações preferenciais têm prioridade no recebimento de dividendos, caso estes não sejam suficientes para abranger todos os acionistas da empresa.

(…)

Também lembro que utilizo retornos totais, ou seja, que incorporam eventuais dividendos, juros sobre capitais próprios (JSCP), desdobramentos, bonificações etc. Com isso, algumas das rentabilidades apresentadas a seguir podem não ser exatamente iguais à variação da cotação do papel no período em tela. Os dados para a análise me foram gentilmente disponibilizados pela plataforma Quantum Finance. Para aqueles que quiserem acompanhar todo o meu trabalho, fica o convite para me seguir no Instagram @carlosheitorcampani e no LinkedIn: vamos nos conectar por lá também?

Quais os papéis que estão no azul no período pós-eleitoral

Apurei que a queda média dentre os 201 papéis analisados no período ficou em -8,4%. Apenas cerca de 17% da amostra analisada, mais precisamente 35 papéis, estão com rentabilidades positivas neste período. Na tabela abaixo, apresento a lista deles, com respectivas rentabilidades e volatilidades anualizadas no período pós-eleições.

(…)

Acesse o artigo na íntegra clicando aqui.

Veja a primeira parte clicando aqui.

Rolar para cima