Fundos de investimentos em ações ativos valem a pena?

Em artigo produzido para o Investing.com, o professor Carlos Heitor comenta sobre os Fundos de Investimentos em ações ativos.
Artigo: Profº Carlos Heitor

Olá, pessoal! Assim como fiz no meu último artigo nesta coluna há duas semanas, compartilharei com vocês os resultados de um estudo acadêmico feito por mim e pelo Prof. Marcelo Guzella (à época, meu aluno de mestrado) que culminou em publicação acadêmica na prestigiada Revista Contabilidade & Finanças, da USP. O artigo pode ser encontrado na minha homepage (carlosheitorcampani.com/artigos-publicados) sob o título “Predictive power of Brazilian equity fund performance using R2 as a measure of selectivity” ou, em português, “Poder preditivo do desempenho de fundos brasileiros de ações a partir do R² como medida do grau de seletividade”.

(…)

Foram avaliados 867 fundos de investimento em ações (FIAs) brasileiros. Foi testada a hipótese de que fundos mais ativos apresentariam melhores retornos para compensar seus maiores custos e maior risco idiossincrático. O risco idiossincrático é o risco específico da estratégia do gestor do fundo, além do risco de mercado ao qual naturalmente qualquer estratégia de ações se expõe. Em um ETF de Ibovespa, por exemplo, há somente o risco de mercado, pois a estratégia segue precisamente o Ibovespa (aqui considerado como índice representativo do mercado em tela). Em um FIA de ações, quanto mais ativa for a estratégia do gestor, mais ela tende a se diferenciar do Ibovespa: em outras palavras, o risco idiossincrático aumenta.

(…)

Essa hipótese foi confirmada pela pesquisa no mercado brasileiro. A avaliação foi feita pela subdivisão da amostra em portfólios igualmente ponderados, de acordo com o R² e alfas históricos dos fundos, com rebalanceamento mensal e janelas móveis de 12 meses. A tabela abaixo mostra os excessos de retornos médios mensais obtidos por cada portfólio de fundos. Considere levar algum tempo analisando a tabela abaixo (comece lendo o título e a nota da tabela para melhor compreensão).

Acesse o artigo na íntegra clicando aqui.

Leia outras notícias clicando aqui.

Scroll to Top
Rolar para cima