fbpx

Vicente Ferreira concedeu entrevista sobre nova modalidade de linha de crédito

Portal: Jornal O Globo
Data: 19/09/2019

 

A nova linha de crédito da Caixa vale a pena?

Nova modalidade de financiamento terá taxas inferiores e corrigidas pelo IPCA, mas à mercê da inflação

 

O professor do COPPEAD/UFRJ, Vicente Ferreira, concorda com as afirmativas de oportunidade versus risco. Segundo ele, a diferença em relação ao que se tinha é que, na taxa de juros pré-fixada, o risco é do banco. Agora, é do comprador.

“A pessoa contrata o empréstimo e, mesmo que seja um pouco mais alto, já sabe o quanto vai pagar. É como se o contratante pagasse um segura para essa inflação. O que está sendo proposto agora é a possibilidade de um financiamento mais barato, porém à mercê da inflação, que pode ficar alta nos próximos anos”, explica.

Para Vicente Ferreira, da UFRJ, na cultura do brasileiro otimista que, ao ver uma prestação baixa, preferem arriscar, mesmo que a taxa de juros seja variável. E há aqueles que vão dar uma entrada maior e, na medida em que o tempo passar, se a renda aumentar, vão correr para quitar logo ou diminuir o valor das prestações.

“O comprador pode correr o risco ou dar uma entrada maior. Não tem como prever”, resume ele.

 

 

Assessoria de Imprensa: Contextual Comunicação

Rolar para cima