Risco e Incerteza

Contribuição: Profº Claudio de Moraes

Para a gestão de qualquer negócio, é preciso ter claramente em vista a distinção entre o risco do negócio e a incerteza do mesmo. Mas como distingui-los? É possível afirmar que o que conseguimos mensurar está na categoria de riscos, já aquilo que não conseguimos mensurar são as incertezas.

Uma medida muito utilizada em finanças para medir o risco é o desvio padrão, que representa o desvio de um evento qualquer em relação a sua média. Portanto, é possível calcular o desvio padrão histórico de diferentes ativos e, assim, definir diferentes classes de riscos para diferentes ativos.

Um ativo que tem uma oscilação maior, ou seja, um maior desvio padrão, tem mais risco do que um que oscila menos, contudo, ambos os ativos estão sujeitos as incertezas econômicas, políticas e ambientais. E quando uma crise se manifesta, a própria relação entre o risco dos diferentes ativos se modifica.

Logo, há uma relação entre o risco, que pode ser mensurado e, portanto, pode ser conhecido, e a incerteza, que está sempre associada a algo improvável.

A literatura econômica considera a incerteza uma variável de elevada importância. Em ambientes mais incertos, as decisões de consumo, investimento e emprego tendem a ser postergadas, assim como pode haver redução da eficiência alocativa dos recursos. Pesquisas que abordam os efeitos da incerteza sobre as atividades econômicas apontam seus impactos na produção, investimento, consumo e comércio internacional. 

(…)

Acesse o artigo na íntegra clicando aqui.

Rolar para cima