O que a recente crise das criptomoedas ensina sobre comportamento do investidor

Em artigo para o Investing.com, o profº de Finanças e Controle Gerencial, Rodrigo Leite, comenta sobre a recente crise das criptomoedas.
Artigo: Prof. Rodrigo Leite

O ano de 2022 foi um ano difícil para as criptomoedas, assim como para diversos outros investimentos. O Bitcoin caiu de cerca de 64 mil dólares para cerca de 17 mil dólares, o que representa uma diminuição de 73% no valor desta criptomoeda. Já o Etherium, segunda criptomoeda mais popular, caiu de cerca de 4.600 dólares para cerca de 1.200, uma diminuição de 74%, bem próxima à queda do Bitcoin. Além dessas moedas, diversas altcoins tiveram quedas ainda maiores: Dogecoin teve queda de 90%, Ripple -80%, Cardano -90% e Solana -95%. Neste artigo, quero ressaltar três importantes lições que o mercado de criptomoedas nos deixou nesse ano que está acabando.

(…)

A segunda lição é que o mercado de cripto não é tão descorrelacionado com o mercado financeiro tradicional como se pensava anteriormente. A subida do mercado de cripto ocorreu juntamente com o S&P500 e o pacote de estímulos econômicos lançados pelos governos de diversos países durante a pandemia do coronavírus. A queda ocorreu juntamente com a escalada inflacionária nos EUA e União Europeia, bem como com o rate hike (subida de taxas de juros) ocorridas em diversos países desde então. Portanto, tanto o uso de criptomoedas como ativos descorrelacionados com o S&P500, como o uso desses ativos como safe havens against inflation (ativos que protegem contra a inflação) se mostraram inviáveis.

(…)

Adicionalmente, muitos investidores, ao investirem em um projeto de cripto, levavam todas as críticas como FUD (medo, incerteza e dúvida, acrônimo de fear, uncertainty, and doubt), ao invés de avaliarem os méritos das críticas realizadas ao projeto. Isso fazia com que certas comunidades agissem mais como seitas do que como grupos de investidores, o que demonstra justamente que os “investidores” eram pessoas desavisadas que queriam dinheiro fácil.

(…)

Acesse o artigo na íntegra clicando aqui.

Veja todas as nossas outras notícias clicando aqui.

Scroll to Top
Rolar para cima