fbpx

Revista Isto É Dinheiro publicou nova matéria sobre a privatização da Eletrobras com entrevista do Prof. Rodrigo Leite

Portal: Isto É Dinheiro

Anunciada como redentora para o setor elétrico, capitalização da Eletrobras em tramitação no Congresso gera muito calor e pouca luz. A proposta mantém o dirigismo estatal, não garante novos investimentos e nem tarifas de energia menores.

A revista ouviu especialistas do setor de energia para esclarecer os pontos mais nebulosos da proposta que pretende destravar os investimentos no setor elétrico por meio da mudança do controle acionário da Eletrobras.

A capitalização vai destravar investimentos?
Provavelmente não. O sistema elétrico brasileiro requer investimentos pesados, tanto na geração quanto na transmissão, além de ganhos de eficiência na distribuição. As propostas inseridas pelos senadores criam mercados cativos para usinas termelétricas e pequenas centrais hidrelétricas, as PCH, em detrimento de geradoras eólicas e solares. Isso deve ser menos animador para os investidores. “Como está, a capitalização vai elevar o custo da conta de luz porque o capital privado buscará maximizar suas margens de lucro e as propostas obrigam a compra de energia cara”, disse o economista e professor da UFRJ Rodrigo de Oliveira Leite.

Para ler a matéria completa, clique aqui.

Rolar para cima