fbpx

Processo decisório é tema de análise sobre investimentos em nova coluna da Investing.com

Portal: Investing.com

Decisões Erradas de Investimento: é o Processo, Estúpido!

Assim como em 1992 James Carville enunciou de forma contundente por meio da frase “É a economia, estúpido!” o fator decisivo para a vitória de Bill Clinton sobre George Bush pai naquela eleição, no artigo desta semana eu me aprofundo no terceiro dos quatro “componentes primordiais” que recomendei aos investidores no meu primeiro artigo publicado aqui no Investing.com: o processo decisório.

Da mesma forma que os demais componentes – conhecimento, autoconhecimento (ambos já abordados nos meus dois últimos artigos) e implementação (que eu abordarei no próximo) –, o processo decisório isoladamente é condição necessária, porém não suficiente, para os investidores enfrentarem o enorme desafio de investirem de forma “racional”, ou seja, consistente com os seus objetivos, perfil e necessidades. Para tanto, todos os quatro componentes devem ser desenvolvidos e empreendidos de forma integrada e contínua.

Processo Decisório: você é RACIONAL?

Um dos aspectos mais chocantes que constatei durante os quatro anos da minha pesquisa no COPPEAD/UFRJ, em parceria com a CVM, e que resultou na minha Tese de Doutorado foi o fato de que a imensa maioria dos investidores individuais (pessoas físicas) simplesmente não possui um processo decisório deliberado. Ou seja, tomam as suas decisões de forma reativa de acordo com as circunstâncias, sobretudo pessoais, profissionais e do mercado financeiro. E, ainda mais grave, sem buscar coerência suficiente com os seus objetivos, perfil e necessidades.

O resultado? Uma espécie de “andar do bêbado”, com decisões de investimento ao longo do tempo incoerentes entre si e com as suas reais necessidades (a curto e a longo prazos) por variarem ao “sabor” de circunstâncias tão díspares entre si como a necessidade de investir o montante recebido no âmbito de uma ação judicial, enfrentar a nova situação financeira provocada pela perda de um emprego e ajustar a sua carteira de investimentos diante das oportunidades e das ameaças suscitadas por mudanças estruturais na economia decorrentes de uma pandemia.

Assessoria de comunicação: Contextual

Para ler o artigo completo, clique aqui.