fbpx

O professor Carlos Heitor Campani concedeu entrevista sobre a Capitalização na Previdência

Portal: Jornal Estadão
Data: 24/09/2019

 

Governo deveria insistir na capitalização da Previdência

Professor da UFRJ defende adoção de um modelo que combine o sistema atual, de repartição, com a capitalização, o que garantiria uma aposentadoria mínima para os mais pobres

A versão da reforma da Previdência aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal e vai seguir para o plenário da Casa está dentro do esperado e já é “um grande avanço”, mas a equipe econômica deveria insistir na proposta de mudar o sistema previdenciário para incluir o modelo da capitalização, na avaliação do professor de finanças Carlos Heitor Campani, do Instituto Coppead de Administração, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Em julho ele publicou estudo comparativo entre países que adotam a capitalização, feito a pedido da equipe econômica do governo.

O especialista defende um modelo “multipilar”, que combine o sistema atual, de repartição, com a capitalização. Nessa combinação, a repartição continuaria para garantir uma aposentadoria mínima para os mais pobres, segundo o professor.

 

 

Assessoria de Imprensa: Contextual Comunicação

Rolar para cima