fbpx

Carlos Heitor Campani concede entrevista para o portal Valor Investe sobre FGTS na Petrobras ou fundo dedicado à empresa

Portal: Valor Investe

Você tem FGTS na Petrobras ou fundo dedicado à empresa? Saiba o que fazer

Valor Investe foi ouvir especialistas para entender até que ponto vale a pena manter na carteira este tipo de ativo depois da turbulência vista na semana passada com a empresa

Com a forte queda dos papéis da Petrobras na última semana e a insegurança jurídica que se formou em cima da empresa, quem investe em fundos que têm apenas papéis da empresa (chamados de monoativos) ou mantém a aplicação do FGTS em papéis da companhia se questiona sobre o que fazer. Manter, vender ou comprar mais ações da estatal?

Valor Investe ouviu alguns especialistas em investimentos e a recomendação neste momento é não realizar prejuízo. Na prática, isso quer dizer não se desfazer dos papéis ou dos fundos concentrados em Petrobras neste momento em que a empresa não se recuperou ainda do baque.

Afinal, após a leve recuperação ao longo da semana, as ações da estatal acumulam baixa de 24,4% desde o início das notícias sobre a troca de presidente, por conta da insatisfação de Bolsonaro com a política de preços de combustíveis. Donos 1,27% do capital da empresa, os investidores de “fundos Petrobras” viram sua carteira se desvalorizar em R$ 1,18 bilhão em poucos dias, saindo de R$ 4,86 bilhões para R$ 3,68 bilhões.

“Conceitualmente não se deve mexer em uma carteira no momento de crise, a não ser que tenha indícios de perda definitiva, ou seja, que a empresa vai quebrar”, diz Sigrid Guimarães, sócia e presidente da Alocc Gestão Patrimonial. “A gente mexe em uma carteira em momentos de calmaria e não de crise. Não é bom fazer nenhum movimento brusco em meio à tempestade”, completa.

Assessoria de Comunicação: Contextual

Para ler a matéria completa, clique aqui.

Rolar para cima