Quando a academia encontra o mercado todos saem ganhando

Veja a reflexão de Carlos Heitor, professor de Finanças do Coppead/UFRJ, sobre o cenário da a academia perante o mercado financeiro.
Artigo: Profº Carlos Heitor

Olá, pessoal. Com muito orgulho, eu digo que sou professor, sou da academia. E isso não me faz absolutamente melhor (ou pior) do que ninguém. Significa simplesmente dizer que optei por fazer mestrado e doutorado acadêmicos e, então, realizar pesquisas científicas, publicando-as em periódicos (journals) acadêmicos importantes no cenário nacional e internacional. Já publiquei cerca de 50 artigos científicos, tenho dois livros e capítulo de livro (co)autorados. Amo o que faço. Mas, ressalto, isso não me faz melhor do que ninguém

(…)

Quando digo MUITO em letras maiúsculas, é isso mesmo: a bagagem de experiência que carrego tendo em vista inúmeros projetos nos quais tive o privilégio de trabalhar é, para mim, a oportunidade de estar “no mercado”. Essa experiência me faz enxergar quais os problemas para os quais posso contribuir através do meu conhecimento e das minhas pesquisas acadêmicas.

(…)

Para mim, o maior desafio ao se juntar alicerces sólidos do conhecimento com a experiência prática (que só vem com o passar de muitos anos) está na capacidade de adaptação e de remodelagem dos conceitos teóricos. Não adianta querermos passar óleo no chão para o carrinho permanecer em movimento eternamente. Precisamos entender que há uma força de atrito, sendo esta proporcional à força normal, que faz com que o carrinho desacelere. E a partir daí, criar modelos que antecipem esse tipo de “choque de realidade” (como, aliás, os físicos já fizeram há muito tempo).

Em Finanças, na minha área, vejo muitas vezes alguém querer aplicar modelos que simplesmente não funcionam porque premissas (muitas vezes até desconhecidas) não são respeitadas na prática. E é precisamente nesse momento que devemos dar um passo atrás na teoria para entender como solucionar aquele problema, compreendendo os limites de aplicação dos modelos teóricos disponíveis até então.

(…)

Acesse o artigo na íntegra clicando aqui.

Scroll to Top
Rolar para cima